quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Apre!



Já vos disse?
Já mencionei que é a idade mais estúpida que há e que eu não tenho paciência para os aturar?
Não dá para uma pessoa agarrar neles aos 12, pôr os sacanas a dormir e acordá-los por volta dos 20?
Facilitava.
Ou então, agarrava-se num pau e vai de lhes tirar a mania que são bons à paulada.

2 comentários:

Lilith disse...

Por mim as pessoas deviam nascer todas com 20 anos, pelo menos.

Daniela Santos disse...

Oh, Maria!! Eu estava a gostar tanto do teu blog...
Infelizmente, se a idade dos "teens" fosse extinguida, não existiriam adultos (pelo menos como hoje se definem), e vocês sabem disso!
Tenho 17 anos e, como boa adolescente que sou, deveria insurgir-me ferozmente contra este post. Primeiro, porque ele encerra um atentado aos meus contemporâneos e depois porque a revolta é inerente à natureza de um adolescente. Contudo, apenas achei engraçado e não me senti ofendida :)

Mas vou proteger a minha fação, na mesma. A adolescência é uma época muito intensa, é uma máquina de transformação de crianças em adultos. Permite-nos experienciar antagonismos que nunca mais se verificarão: assumir a ignorância da infância e aprender com ela, saborear a responsabilidade adulta e falhar.
É uma época de dicotomias e dissonâncias? Sem dúvida! Isso reflete-se em tudo o que rodeia o adolescente? Sem dúvida? Irritamos toda a gente? É bem provável! Mas, agora a sério e sem cair em generalizações simplistas: não somos todos iguais!

Pessoalmente, eu adoro a adolescência, por tudo! porque a ela pertenço, porque nela entrei e porque dela devo sair em breve! É fascinante como toda a vida biológica se processa, e esta fase de um indivíduo é mais uma prova do maravilhoso processo evolutivo que a que o ser humano assiste ativamente.

Honestamente Maria, acho a forma como escreves muito dinâmica e sincera talvez porque, sem saberes claro, compartilhamos-me esse ímpeto de escrever os sentimentos que urgem ser exteriorizados (e os usamos como terapia)... Sempre categorizei essa necessidade como uma característica específica da adolescência, mas afinal não :)

Afinal, não são só os adolescentes que divagam e dissertam, evadem-se do real e sonham que podem mudar o mundo sozinhos! Afinal, não nos afastamos assim tanto dos nossos ascendentes! Gostamos de aprender e adoramos ensinar!!

Beijinhos, fiquem bem (e desculpem o desabafo, é a adolescência!)