quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Um chapadão na boca!

18.30. Eis que se ouve o belíssimo toque de saída e aí vou eu, qual hipopótamo de nenúfar em nenúfar. Feliz da vida por dois motivos: tratava-se da última aula do dia e esperava-me um jantar de comemoração do nosso casório. Lalalala! Dirijo-me então para a saída - a almejada saída!- e ouço isto:
- Fod@-se ó Andreia! Tem cuidado, ya? (ou ja, ou iá ou lá o cataninho!)
- Que foi?
- Pisaste-me, ó c@r@lho!
TILT! Ora as duas aventesmas até que são minhas alunas. Azarinho o delas. Intervenho, de cabelos no ar, qual Songoku com a força-suprema.
- Olha lá, mas é preciso dizer tanta barbaridade junta?
Silêncio da mocita. Mudou de cor, murmurou uma espécie de desculpe e desandou. A outra- que se trata de um ser muiiiiito irritante - vira-se para mim e diz-me o seguinte:
- Ó stôra, mas aqui é a escola, não é a sala de aula! Não faz mal dizer asneiras!
Pronto, aqui a minha vontade de sair abandonou-me e fui invadida por uma vontade bem mais castiça: a vontade de lhe desfazer a cara à chapada. Mas não posso, o que acaba por nos aguçar a criatividade.
Amanhã, que até é dia de teste, a menina vai ter de escrever umas quantas vezes (depende do meu humor amanhã) esta frase:
-Eu acho que posso dizer asneiras no meio da escola, porque "o meio da escola" é uma coisa e a sala outra, obedecendo, portanto, a regras diferentes. Ora a minha professora não partilha dessa opinião, razão pela qual me encontro a escrever esta frase. Será que aprendo a não dizer asneiras? O futuro o dirá. A professora desconfia que sim.
E só depois vai sentir o cheiro ao teste. Ainda leva recado na caderneta, que é para ter um fim-de-semana em grande.

13 comentários:

HzoLio disse...

Ai a guerra que tu vais comprar... Em que escola é que estás mesmo?!

Mo disse...

Pois, ainda não te disseram que cuspir para o chão é uma coisa normalíssima (tentativa de interiorizarem algumas regras de civismo) e que no bairro n há regras nenhumas?

As TEIP são uma maravilha da Natureza...

Beijocas :)

Hélder disse...

Imagino a mãe a ler o recado da caderneta e exclamar: "Fod@-se, filha, mas tu não sabes ter a put@ da boca fechada?! HADES ser sempre a mesma merd@!" :D

Pedro disse...

LOL! Nota vinte para a criatividade da Professora! :D

(Hélder - ainda há-de acrescentar - A culpa é do c@brão do teu pai, que não mexe um... e por aí fora.)

Mãe Pop Corn (Kika) disse...

Gostei do post em si, mas amei mesmo o comentário do Helder... não conseguia parar de rir!

Gonçalo M. disse...

KAMEHAMEHAAAAAAAAA!!!!! Lá se vai a moçoila!! :D
Vê lá se a mãezinha na vai a escola e se tenta armar em BouBou... lool
Boa Hélder! rsrsrs

Helena Teixeira disse...

Olá!
Mais um blog genial.Afinal a vida de professor/a até tem a sua graça,é aventura,diversão e tal...admira-me as alunas não dizerem que a tôra é k tem os ovidus sensíbeis...Aquilo não eram asneiras,eram vírgulas decorativas...lol..Então sempre aplicou o castigo? Foi bem pensado :)

Aproveito e deixo um convite à Professora: participe na Blogagem de Dezembro do blogue www.aldeiadaminhavida.blogspot.com
“O tema é: O Natal na minha Terra”
Basta enviar um texto máximo 25 linhas e 1 foto para aminhaldeia@sapo.pt até dia 8 de Dezembro. Participe. Haverá boa convivência e uma campanha de solidariedade para ajudar Isabela (veja mais no blog da Aldeia)!

Jocas gordas
Lena

HzoLio disse...

Olha olha, " Jocas gordas"... Maria, deve ser alguém que te conhece, pá!!! eheheheh

É agora que os meus comentários são bloqueados... ;)

Romicas disse...

Adorei! Adorei! Adorei!!!!!!!
Não só o poste mas também os comentários. Só podia ser!
Vou passar cá todos os dias. Ao menos "lavo a alma" da chatice diária.

Romicas

HzoLio disse...

Ó Romicas, mas tu também por aqui andas?! ;)

Romicas disse...

HZOLIO, é o que faz andar a espiolhar o teu blog. E agora vim pra ficar!!

HzoLio disse...

Fazes bem... A Maria merece! ;)

Sandra C. disse...

Lolol! Já aqui não vinha à algum tempo... mas sempre que aqui venho tenho que me rir com as tuas histórias!
Tenho uma sobrinha talvez na mesma idade que essas miúdas e nem quero imaginar o que será! É mesmo bom não imaginar... acho que se fosse professora também me passava tal com tu!

Jokinhas
Sandra C.