segunda-feira, 10 de março de 2008

Eyes wide shut

Ela acorda, arrasta-se pela casa até dar com a banheira, faz umas festas aos gatitos, conversa com o marido, toma banhoca, escolhe uma roupa clara e boa-onda para o dia, maquilha-se e até consegue aplicar sombra castanha e não parecer que levou um murro nos olhos, estica o cabelo que fica com um ar todo giro, come o pequeno-almoço e aí vai para a escola.

Chega à porta da escola, começa a enervar-se com a falta de bom-senso dos pais, que estacionam o carro em 14ª fila, de maneira que as crianças não apanhem uma gota de chuva que seja (será que eles sabem que dali por 3 minutos eles estarão a fugir à frente das auxiliares porque querem molhar-se?).

Estaciona o carro num sítio que não a habilite a uma multa, cumprimenta uns meninos à entrada do café, e respira fundo antes de começar a conversa sobre a manifestação.

Eu acho que deveria ter sido uma marcha silenciosa. E logo um olhar de repúdio desce sobre o seu cabelinho esticado e outfit primaveril... Digamos que ela sentiu um murro no estômago. Digamos que as colegas não gostaram do bitaite...Adiante, nada poderia correr mal, ou não tivesse ela sombra de olhos castanha, não tivesse ela vestido aquelas calças que tanto gostava e que não conseguia vestir há coisa de um ano... Engoliu o café e ignorou o olhar de ódio cravado nas costas.

Entra na escola, repara que a colega que se cruza consigo vem vestida de preto... Sem maldade, pergunta-lhe se se passa alguma coisa. Ela respone que é a semana de luto, enquanto olha para ela e nota a predominância do branco no trajar.

Ah, pois é, esqueci-me...murmura envergonhada.




Uma vez mais, sente que não pertence. Sente que a sua preocupação é outra: aos olhos da ministra ela não é sequer incompetente, preguiçosa, ignorante. Ela é apenas uma candidata a professora. Passa uma borracha sobre os anos de estudo (outrora superior) e regressa aos seus 17 anos, somando-lhe os 10 que já passaram desde então.

Dá o toque, encaminha os meninos para a sala, Conversam sobre o fim-de-semana: o F.acampou com os escuteiros, a E. esteve doente, a A. fez anos...

Exercícios, falta um lápis, o L. chega atrasado, o rádio debita frases. Eles lêem-orgulhosamente- as frases que escreveram: Sandra is in the living-room.

Well done.Agora uma difícil para o L., que até tomou a medicação e está calmo. Felix is in the bathroom. Very good. mapa de comportamento. O L. esteve sossegado, pediu por favor, merece um big green.
Acaba a aula, troca com a outra professora. Começou a chover, o cabelo encaracola, o branco da camisola constrasta com o cinzento do dia. Pega no carro. Entra em casa, consulta o mail, lê o artigo do Rangel sobre a manifestação. Fica triste. Apetece-lhe gritar e chorar. Reprime as coisas más e escreve o texto que agora lês.
Já nada faz sentido.

13 comentários:

Flávio disse...

Hey, (infelizmente) é a minha vez de dizer que assim até nem dá vontade de gozar...
Hang on!

Celeste disse...

Qual artigo? Publicado onde? Vou já ver...

Olha, mas qq artigo não deixa de ser uma opinião, ok? Sabes como é, é como os olhos do rabo, toda a gente tem um. :D :D

E não fiques triste, é só um dia de chuva, mas ele já devem faltar poucos até ao Sol mailindo-e-quentinho vir de vez.

Beiji** :)

mik@ disse...

olá maria

o consultorio está cm um layout muito fresquinho :)

desejo-te uma boa semana :)
beijinho

Aisling disse...

Maria, não fiques triste por causa de um artigo desses. Agora parece que é muito "in" dizer que quem se manifesta é comunista e sinceramente deixei de ler perante tamanha baboseira. Sinceramente, isto é mesmo vergonhoso... :S
Beijinhos

Marta disse...

Gostei do ar primaveril que deste a este canto.
Está um primor.

Esse dia pareceu-me um verdadeiro bombom…com um gosto amargo :)
Mas também…a vida não é isso mesmo?

Beijos

htsousa disse...

Desta vez não vou fazer o papel de advogado do diabo. Aquele artigo é do pior lixo que já vi.
Não só acusa todos os manifestantes de estarem a ser manipulados pelo PCP (ou seja, não terem cabeça), como ainda o faz com uma conotação perniciosa. Quase que esperava ver escrito que os professores comem crianças ao pequeno almoço.

Não discuto os conteúdos, apenas deixo um abraço.

Mim disse...

Não li o tal artigo mas se te servir de consolo... o teu blogue está muito bonito! Verde, esperançado... e tudo!

Vá, ânimo. Bjoka

Mahira disse...

verde definitivamente muito girinhoooo! Luto, hummmmm...

Dualidades disse...

Muito gira, a nova cara aqui do consultório! Muito campestre!

Dualidades JP

MCA disse...

Linda, tens a mais doce força contigo: o amor do teu Eskisito. Pensa nela e não te deixes ir abaixo pelo que possa acontecer lá fora- ainda que tenha directamente a ver contigo. O melhor e mais importante que há, mesmo a sério, tu tens juntinho a ti :)
Melhores dias virão, alguns "suckam" muito, como ouvi no outro dia num filme e escangalhei-me a rir :p
Beijo grande!

wednesday disse...

Maria, cad aum é livre de achar o que quiser. Mais vale seres sincera do que ires à manifestação e um jornalista te perguntar contra o que estás contra e tu não saberes responder, tal como eu vi...

caditonuno disse...

Ó tu! Está aí alguém? Heeeellllloooooo!!! Fiiiuuuu iiiu!!! Passa lá por minha casa que tens um desafio pra esta semana! Coisa simples, nao te preocupes.

Se vieres com tempo avisa que eu faço um lanche, ok?

Azul disse...

Linda.

O que escrevi no comment abaixo, serve para ti.
Está na altura de repensares a tua vida, a vossa vida.
Isso vai acabar convosco, tens noção?

Por mais amor á camisola, nada justifica o sentirem-se assim: impotentes.
Nada justifica isso.
Vocês são bem melhores em muitas outras coisa.
E bem melhores porquê?
Porque, simplesmente, não vos deixam ser, na profissão em que estão, bem melhores que o que sabem que são...