quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Speechless


Há coisas muito boas, nisto que designamos por ensinar. Há. Também há coisas péssimas.Há.

Normalmente, de entre as inúmeras peripécias do meu dia, destaco aquelas que me fazem esquecer as tais coisas péssimas.

Vou então contar-vos o que se passou há umas semanas com o R.

O R. nunca traz o caderno. De início pensei que se esquecia, ou que não ligava ao que lhe dizia. Ao fim de tanto insistir com ele, e à falta de uma melhor justificação ou de uma justificação sequer, decidi impor-me:

- R., tens mesmo de trazer um caderno. Já viste que não podes continuar assim?

R. continuou em silêncio. Nisto o (deixem-me acrescentar "parvalhão") J.M., sai-se com isto:

- Pois! Se todos temos, tu também tens de ter!

Ao que o R. responde tristemente:

- Tu tens sempre dinheiro para comer?



O R. tem 10 anos.


26 comentários:

M. disse...

Pois... p*u*t*a de vida!!!!
Não consigo escrever mais nada...

Teresa disse...

Speechless, é mesmo como estou.

Batz disse...

A vidinha é lixada. Comentava hoje com o P que nós nos queixamos "de barriga cheia".
beijinhos

Luazinha disse...

Sem comentários...

Lisa's mau feitio disse...

Lá está...

era disso que os meus bato-parvitos precisavam de ouvir vindo do nada... Mas eu cá me vou encarregando disso...

Beijos, Mary linda.

(sem msn... Como deves ter reparado... )

Lisa

Alf disse...

E fui eu distribuir cadernos para Moçambique...

elvira carvalho disse...

Triste e revoltante, que passados que passados quase 34 anos da revolução, continuem a haver crianças sem pão, sem escolas, sem hospitais. Gente que morre lentamente em filas desemprego, abandonados na rua, ou numa sala de aula.
Me lembrei do poeta:

Mas as crianças Senhor
Porque lhes dais tanta dor
Porque padecem assim.

Um abraço

Celeste disse...

Há crianças muitos especiais...

Temos que fazer o máximo por ajudá-los no que pudermos, por pouco que seja. E pensar bem no nosso voto.

Beiji**
PS: Dá-lhe miminhos Maria...

MCA disse...

Speechless....
:(

Dina disse...

Estou a olhar para este quadrado em branco há uma data de tempos...e não encontro as palavras que me pareçam certas para dizer o que sinto...
Quantos R,s haverá neste país?

MiSs Detective disse...

e ainda nós pensamos que temos problemas, nao é?!

susy claro disse...

Faz doer a alma....

Dualidades disse...

Fizeste-me engolir em seco!

Dualidades JP

Mo disse...

Fogo... :|

Flávio disse...

Dá-me o teu NIB.
Terei todo o prazer em encarregar-te em dar a essa criança cadernos e material escolar, para que a sua vida não seja um ciclo vicioso.

Teresa disse...

Bem hajas, Flávio.
Bem hajas!

Maria do Consultório disse...

Amigos:

Obrigada pela vossa preocupação. É que, por muito que eu queira ouvir e aguentar, torna-se complicado. É muito difícil.

Alf:

Não te arrependas do que fizeste.
Beijo

Flávio:

Adicionei o teu mail do blog. Falamos por lá.
beijo

htsousa disse...

Posso usar o NIB que já tenho?

Azul disse...

Nota 10 para o R.
Esteve á altura do " parvalhão".

Olá!! disse...

Isso doi...

Sahara disse...

Fosga-se!
Como é que isto é possível em pleno século XXI?
Se deciderem fazer alguma coisa contem comigo.
Manda mail para o do blog.
Beijo grande!

Mim disse...

A situação do R. torna-se especialmente dramática quando ninguém nunca reparou ou lhe perguntou o motivo de ele não ter um caderno. Porque as crianças não falam porque têm vergonha e é para isso que servem os adultos, para estar atentos às necessidades deles e os ajudarem a resolver os problemas sem eles se sentirem humilhados.

analuE disse...

Pois é verdade situações destas ainda existem, também dou aulas geralmente em meios desfavorecidos, e deparo-me com algumas... atribuo aos pais alguma negligência pois esperam que tudo lhes caia do céu; ele é casas, subsidios disto e daquilo. Vá lá meus amigos até no chinês à caderninhos,em vez do dinheiro pode-se sempre mandar almoço... Nestas escolas, é ver de manhã o café local, com algumas famílias a tomarem todos os dias o pequeno almoço fora e a fumarem o belo do cigarrinho.Para mim resume-se a falta de gestâo muitos destes casos.

Piston disse...

Concordando que é dramático e achando que está a ser dramatizado (porque fica sempre bem o "falar" e desvaloriza-se o "agir"), permitam-me ser o cabrão do post:

Porque é que o J.M. é parvalhão?

Note-se que não é nenhum ataque à Maria.

Restelo disse...

Mas a escola não tem noção do que se passa? Para dar apoio?? A escola onde a minha mãe deu aulas também tinha alunos com vários problemas (de natureza variada) e a escola estava a par das situações e fazia o que podia para dar apoio.

Rita disse...

Caramba como é que é possível em pleno séc. XXI ainda haver crianças com fome principalmente em países ditos civiliza dois como o nosso. Essas coisas doiem-me tanto...
Jokas