terça-feira, 20 de outubro de 2009

O Pretérito Imperfeito do Indicativo da meteorologia

O estupor do Ulisses. Cá ando eu às voltas com o Ulisses, esse grande maluco que se enfia dentro de um cavalo de pau. Ó Maria Alberta Menéres, o que eles têm feito à tua obra...Passo então a explicar:

Ora de maneiras que eu tenho uma turma de delinquentezinhos que até nem são maus gaiatos. São limitados, chamam-se Ednilsons e Suelis e Vandermilsons e não estudam a ponta dum corno, mas são bons moços e até à data têm acatado as minhas instruções. Na última aula, estavam eles embevecidos com a história do Ulisses, quando eu pergunto: Já agora, esta forma verbal (e vai de ler de forma a que chegassem lá)trovejaAAAAAAAAva, pertence a que tempo e a que modo?
Cri cri, cri, cri....
Eis que se levanta um braço, olhinhos brilhantes e táu!
- O tempo é a tempestade!


GE-NI-AL, se fosse piada.

4 comentários:

Paula disse...

Não te riste?! Eu não me teria aguentado! :)

Pedro disse...

E o modo trovejante, certamente... :p

Marta disse...

Juro que me pareceu uma daquelas anedotas do menino Zézinho! Dá mesmo para rir.

Rita disse...

Eu teria respondido, Mau, Muito Mau Tempo...
Jokas