terça-feira, 28 de outubro de 2008

Ainda não chegámos sequer à hora de almoço...

Um puto de 7 anos conseguiu pôr em pé de guerra uma escola com 300 alunos e mais uns quantos adultos, entre pessoal docente e não docente.
Muita psicologia, muita ameaça, muito telefonema para casa, muitas festinhas na cabeça porque -o-menino-tem-problemas...É um insulto à nossa vocação, que sejamos obrigados a estes circos porque os pais desta criança a abandonaram à sua sorte. É triste, faz-nos ficar com aquele nó na garganta, mas não podemos ser tudo ao mesmo tempo, porque corremos o risco de perder os outros 299.

11 comentários:

Pedro disse...

Pois... e coitadinho do serial killer, que tem problemas também...

Maria do Consultório disse...

Nem mais, Pedro, nem mais...E pensar que hoje vou levar com a criança às 4 e meia...
beijo

Luazinha disse...

E os pais dessa criança???
Onde andam??
Ah já sei, estavam a trabalhar e não podiam ir á escola??!!
Ah belas educações...e dp os professores é que os deviam educar... n deves ter mais nada pra fazer pois não?!!
Não sou professora, mas talvez por ter na familia um sr que decidiu ter essa ingrata profissão, passo-me com certas coisas que se passam nas escolas deste país...
Enfim... contigencias da profissão!!
Kiss

Formiguinha disse...

E tens toda a razão... mas o problema não é do puto, nem dos pais, nem dos professores... mas a nossa sociedade!!!

r disse...

Tenho uma enteada de 7 anos, que o ano passado resolveu dizer que a professora lhe tinha batido e aberto o lábio.

Resultado: Escândalo na escola, ninguém toca na minha filha, mato, esfolo e aconteço...
Mostrar fotos do lábio aberto a toda a gente e arredores.

Novo resultado: uma menina super mal educado pois viu que pode fazer o que quer e ninguém lhe pode tocar, e uma turma de putos de 6 anos prontos para entrarem no reformatório.

Mais tarde eu e o pai com calma (só estamos com as meninas de 15 em 15 dias, 1,5 dias, temos que fazer 300kms totais para estar com elas)soubemos pela boca da menina que o estalo foi um carolo a chamar a atenção porque estava a falar, o lábio aberto foi uma queda da cadeira abaixo na brincadeira.

E agora, já tentámos quase tudo, falar a bem, ralhar, castigar, vamos tentar agora a cobiça, para conseguirmos educar a menina, que continua uma malcriada na escola com os amén's da mãe....

Pearl disse...

Só por curiosidade, como conseguiu ele esse feito?

:o)))***

Maria do Consultório disse...

r:

Nem imagino o que seja passar por esse processo, na sua posição e sabendo a verdade.
Obrigada pelo seu comentário

formiguinha:

Compreendo o que dizes e sei que és uma cidadã exemplar, mas não podemos culpabilizar sempre o sistema, porque o sistema somos nós.
beijo

luazinha:

Já cpnversámos sobre isto e sabes que adoro o que faço. O problema é que tão depressa nos sentimos uns felizardos pela nossa profissão, cpomo de repente levamos com pais irados que nos acusam de sermos demasiado rígidos com os filhos...
Se somos nós quem tem de educar, ensinar, apoiar, encorajar, punir...dêem-nos alguma margem de manobra.

pearl:

Ele não quis ir para a sala dele, o irmão, por arrastamento, também não quis. O primo, também não. Foi um pandemónio porque o primeiro teve o direito de escolha quanto *a sala para onde queria ir. O que é engraçado é que no meio disto, estiveram 5 salas sem professor e uma escola inteira sem auxiliares.
Tudo porque o menino tem problemas de relacionamento´e um rol de asneiras no processo.
Não se percebe.

Safira disse...

Pais culpados por não terem tempo para os filhos tornam-se permissivos e indulgentes. Depois, o mundo que ature os novos 'monstros'.
Assim a seco, que não há paciência para os caprichos dos miúdos de hoje.

Eu continuo a achar que devia haver um exame de aptidão antes de se poder ser progenitor. Mas quando digo isto, quase sou fustigada!

wednesday disse...

Resta saber se tem mesmo problemas ou se arranjou problemas porque lhe deu jeito...

HzoLio disse...

Agora imagina eu que só trabalho com esses... Mas isso agora é secundário, porque o que me traz aqui hoje é uma lembrança para a menina:

http://inducacao-enstrocao.blogspot.com/2008/10/prmio.html

Um Abraço

Anónimo disse...

E que tal meterem-no numa escola de Ensino Especial?

Ou não hà, por ai?

é que, ao contrario do que muita gente pensa, estas escolas, ou turmas,ou o que lhes quiserem chamar, não são so para handicaps....


Vera