quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Decisions, decisions...

Anda tudo maluco lá na escola. Uns entregam os objectivos, os outros não entregam, outros há que nem sabem bem o que fazer à vidinha. Eu insiro-me neste grupo muito cool, pois claro. Se uma pessoa fez greve, perdeu dinheiro à parva, atrasou o trabalho e tudo e tudo, vai agora deitar tudo a perder por causa de um prazo? Ando um tanto confusa (foi um bocadinho Florimamas, foi...), mas não quero ser reaccionária nem panconas! Eu, se pudesse, e se a MariadeLurdes me ouvisse, dizia-lhe assim:

Maria, caríssima homónima:

Primeiro que tudo, deixa-me dar-te o número de telefone do meu salão de cabeleireiros. Garanto-te que te vais arrepender, mas seja como for, isso pior não fica. Essa mise dá-me calafrios. Segundo, nós, o pessoal que-não-é-de-todo-estúpido, nota quando estás a ser hipócrita, vingativa e intrujona. Pode ser um choque, mas tinha mesmo de te dizer.
Terceiro, nós, os professores que entraram para o raio da carreira docente há uns mesinhos e que ainda andamos com a pica do começo, andamos à nora com esta porcaria toda, já para não mencionar a bela da raiva que dá saber que se não encarneirarmos nisto arriscamo-nos a não voltar a dar aulinhas. É que nós- ao contrário daquilo que tu demonstras pensar- não somos todos uns incompetentes, desinteressados, com tendências vingativas. Sabias que nós não temos prazer nenhum em chumbar um miúdo, mesmo que ele seja um estupor que leva as aulas a dizer bacoradas? Apesar de tudo, gostávamos de ter marcado a diferença, e esse insucesso mais não é que a evidência do fracasso. Agora, desculpa lá, mas passar por piedade ou por que é estatísticamente interessante, não me parece solução.
Portanto, até sexta-feira tenho de tomar uma posição: ou sim ou sopas. Ou bem que me junto ao sistema, ou me arrisco a perder o que ganhei até dia 30. O que ganhei? Já não sei, sinceramente.

Bom, vou ler uns decretos e umas coisas, a ver se decido o que fazer. Mas antes tenho de planificar umas aulas, fazer a ficha dos artigos, outra ficha de recuperação para a a C. porque ela faltou uns dias a mais do que devia, e tu achas que isso é motivo para fazer ficha de recuperação, mesmo que a C. tenha tirado 87% no teste...Ah e não me posso esquecer de marcar alguns trabalhos para os miúdos com N.E.E., de maneira que consigam dar o melhor dentro das suas possibilidades. Ainda bem que tenho a tarde livre.

5 comentários:

Pedro disse...

Bem esgalhado a parte do: "vamos mantê-los ocupados com coisas que não interessam nada, para eles não terem tempo para pensar numa revolta. Ou revolução.

Presa a uma árvore na Praça de Espanha, isso é que era, mas parece que ninguém se lembrou. Ainda.

entremares disse...

Aqui fica uma lista de sugestões interessantes, especialmente imaginadas quando penso na senhora-de-cabelo-mal-arranjado-que-por-coincidência-também-é-ministra-de-qualquer-coisa...

1. Uma omolete com salmonelas - dizem que dá azia...
2. Um creme de excrementos de vaca - segundo as culturas antigas, limpa a pele...

3. Uma rectoscopia - dizem que ... bem, vocês sabem... faz passar o sorriso à mais santa das almas...

:)

Tulicreme disse...

Tens Tuli Challenge lá no blog ;)

Diabba disse...

Tás lixada... vou dar a tua morada à Maria hihihihihi xou tan malbada!

beijo d'enxofre

rx disse...

Eu também gostava de lhe dar umas palavrinhas, mas como para esses programas prós e contras só são convidados os Professores titulares e os contratados ninguém lhes pergunta nada, cá vai:
Senhora Ministra sabe porque não me convence com esta merda de avaliação? porque a mim não me interessa progredir na carreira, aliás pouco me importa esta carreira de merda , não estou preocupada se tenho mais 100 ou 200€ no final do mês e sim se consigo fechar a porta da minha sala de aula com alguma sanidade mental e a minha integridade física a salvo. Depois este sistema não irá distinguir os melhores dos piores, porque todos sabemos que há professores maus e que deviam ser corridos do sistema porque ha mao de obra de qualidade no desemprego, mas neste sistema só irá existir uma distinção os amigos dos não amigos, e se o avaliador for um tipo sem tomates ainda dará melhor classificação ao seu não amigo efectivo na escola que ao seu amigo contratado, porque para todos os efeitos o contratado não o irá ver mais e o não amigo terá de levar com ele todos os dias na sala de professor, em todas as reuniões....... enfim seria uma conversa agradável com a tia milú.