quinta-feira, 8 de maio de 2008

O antes e o depois

Há dias conversava com uma amiga sobre os namoros, as escolhas, e a vida real. Ela falava-me de um amigo, alguém de quem ela gostara muito em tempos idos, e que, por força das circunstâncias- que é como quem diz, a namorada dele e o namorado dela- não deu em nada.
Ela dizia que ele fora uma pessoa muito importante na vida dela, porque foi ele quem a obrigou a tomar uma decisão relativamente à pessoa com quem queria estar.
No entanto, um destes dias ele ligou-lhe e disse-lhe que, bastaria ela ter dito um palavra nesse sentido, e ele teria desistido de tudo em prol dela.
Disse-me isto algo incomodada, como se aquele telefonema tivesse vindo agitar águas há muito apaziguadas. No entanto, e percebendo isso nos olhos dela, puxei o assunto do primeiro beijo, das borboletas no estômago, da espera, da paixão e da vontade irreprimível de estar com o outro.
Concordando, sorrindo, ela disse-me que este telefonema a levou a pensar nisso mesmo, na impossibilidade de um começo. Porque já se sabe tudo, porque já não há nada no outro que nos possa surpreender, porque o ir jantar fora parte de uma conversa e não de um convite apaixonado; porque o beijo passa a ser uma rotina e não uma descoberta...
E agora? Valerá a pena abdicar da segurança, do hábito, por uma possibilidade adolescente? Por que estas águas também serão apaziguadas...

11 comentários:

MCA disse...

Creio que primeiro tem que se entender com ela mesma para poder perceber porque é que a incomoda, qual é mesmo lá no fundo o que sente. É que vai um grande pulo do entusiasmo louco por reviver algo (no fundo até pode ser só por nunca ter chegado a ficar nada resolvido)ou se realmente esse hábito de agora, essa segurança não têm realmente outro significado do que rotina e medo do desconhecido.
Depois de ter isso tudo resolvido na cabeça, aí sim terá resposta.
Acho eu :)

Isto está num português todo trocado,até assusta lololol É o k dá ter acabado de sair de um exame em k kuase fiz directa, logo em cima de um outro exame em k andei os 4 dias anteriores em regime de clausura com os livros.. perdoa qq coisinha lol. Mas acho k mm com um português manhoso dá para perceber o sentido :P

Beijokas :)

Maga disse...

pois serão, mas fica o resto. a cumplicidade, o adivinhar o pensamento do outro, a calma e a amizade sem máscaras, nua e crua.
não achas que também esta fase é valiosa? eu acho!
beijos

elvira carvalho disse...

Tive uma amiga com um caso parecido. Bem casada, arriscou numa aventura em que tinha acreditado 20 anos atrás, e que nunca se concretizara. E 3 meses depois estava aqui a chorar arrependida. Sofreu uma depressão que a atirou mais de 3 meses para a psiquiatria do hospital do Barreiro. Hoje está recuperada, vive sózinha, trabalha num restaurante da praça das Nações. A alegria foi-se. O ex-marido encontrou um novo amor.
Não quer dizer que aconteça o mesmo com toda a gente. Agora é necessário que a pessoa faça um exame aos seus sentimentos, e tenha a certeza que ainda que não dê certo, não se vai arrepender. Nem vai ficar o resto da vida a suspirar por uma vida que regeitou.
A rotina no casamento só se instala se nós deixarmos. A rotina é a amante que destrói qualquer casamento.
Um abraço

Fá disse...

Ás vezes até resulta, mas só ás vezes. Para mim, estaria fora de questão (re)começar uma relação antiga, mesmo as que não ficaram bem resolvidas,(acho que todas/os temos pelo menos uma) não as quero de volta em hipótese alguma.

Marta disse...

Não sou a pessoa indicada para opinar sobre temas do coração. Nem sempre faço o que devo mas sim o que me dá na vontade. Às vezes dou cada "malho" ;)

Beijos

Luazinha disse...

A maturidade ensina-nos a ser coerente e ás vezes a jogar pelo seguro... é verdade!
Mas tb acho q por vezes podiamos deixar a dita um cadito de lado de vez em qdo... há sensações que a idade não nos tira!!
Kiss e bom fim de semana

Luazinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lisa's mau feitio disse...

Amiga querida, venho ao melhor estilo de "comentadora do best" deixar o clássico beijinho, dizer que gosto muito de ti e que em breve virei ler isto tudo! Voltarei quando tudo estiver mais calmo por "lá"!
Beijinhos
Lisa

(E tanto que tenho a dizer sobre o assunto deste post... Mas não dá mesmo. )

Restelo disse...

Essas coisas sao horríveis!! Confundem a alma e enfraquecem o coração...

Eskisito disse...

Ouve lá, mas tenho de ficar preocupado????
MAU!!!

Pedro Leitão disse...

Gostei imenso deste blog :)

E a propósito deste post...

http://fragmentosdosilencio.blogs.sapo.pt/589.html