sexta-feira, 16 de novembro de 2007

...



15h30
Sala do chaveiro:

- Ómessa (eu digo, claramente, "ómessa" em situações deste tipo), então mas que é da chave?

*tin tilin tin *

E aparece a colega com a chave a tilintar "Tá aqui, Maria!"

-Reparou que eu comecei logo a salivar, qual cão de Pavlov?


Gri, gri, cantava o grilinho...

Gri, gri, no seu buraquinho...







Mental note: Para a próxima, esboças um sorriso bem aparvalhado, e dizes "obrigadinha". E cala-te, pá!

9 comentários:

Hydrargirum disse...

Bela imagem sim sr!!!:)

Ao menos não tinhas a língua de fora pois não?...Tinha ficado muito pior...!!! Muito mais Pavloviano!!!

:)

Azul disse...

Tu vais dar em louca, olha o que eu te digo...

Ninica disse...

Rapariga, não tens mesmo monotonia nessa terrinha...não tens mesmo saudadinhas dos sapatinhos???!!!! eheheh!!!!

O Livreiro disse...

Oh, croma, tu é que devias ir à procura da chave tipo:
Chavezinha, vem à mãmã, e ela aparecia.

Beijo

Dina disse...

Que mau feitio...chiça!!
Bj

Mo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mo disse...

Inspira, expira, inspira, expira...

Beijinhos!

Para sempre, Maria disse...

Hydra:

Foi assim a dar para o ESTÚPIDO. Muito. Ela não percebeu a piada!
beijo

Azul:

Talvez não!Mas elas dão!
beijo

ninica:

NÃO!!!
beijo

livreiro:

Elas só não lecvam a chave para casa por sorte!
beijo

dina:

Elas é que são burgessas!
beijo

Mo:

E de que maneira...
beijo

Rita disse...

Ainda por cima não percebeu a piada??? Troooooooool...
Jokas