quinta-feira, 7 de junho de 2007

Forever friends

Há dias recebi o telefonema de uma amiga especial. Não a vou rotular de melhor amiga nem de nada disso. Os amigos não devem ser postos em estantes por ordem de importância. E digo que é "especial" porque não estou com ela há já alguns anos. Uns 5 talvez. Conhecemo-nos desde os 4 anos. O que significa que, literalmente, nos cresceram os dentes em conjunto, assim como caíram e voltaram a nascer.
Fomos sempre muito diferentes e, simultaneamente, totalmente iguais. E agora, à distância de uma dezena de anos separadas, percebo isso muito bem.

Li há dias no blog da outra Maria que os verdadeiros amigos são aqueles que, quando ligamos a dizer que precisamos de boleia para ir para o aeroporto, largam tudo e buzinam à nossa porta. A L. é assim. Porque sei que, mesmo que não falemos durante meses a fio, quando ouvimos a voz da outra no outro lado da linha, o tempo deixa de ter importância e falamos com a mesma casualidade de sempre. O mesmo à-vontade de quando percorríamos o caminho para a escola juntas, diariamente.

Cada uma optou por percorrer um caminho diferente, áreas de interesse diferentes, vidas diferentes, cidades diferentes, novos amigos diferentes, mas, feitas as contas, e ao fim destes anos todos verifico que os nossos percursos se cruzam em muitas coisas e em muitos sítios.

Quando eramos miúdas gostávamos de passar o tempo a discutir trivialidades e a idealizar um futuro que nos parecia longínquo...agora que somos mulheres, independentes , é bom ver que, de uma maneira geral, conseguimos o que nos propusemos.Lembro-me que ela tinha esta música no voice mail:


"You just call out my name

and you know, wherever I am

I'll come running to see you again...

Don't you know that winter, spring, summer, or fall

all you've got to do is call

And I'll be there, yes I will

'cause you've got a friend..."


17 comentários:

Teresa disse...

Que honra, estrear os comentários!
Tenho alguns amigos assim. E vou mandar para a caixa do teu marido (não tenho a tua) uma música que para mim e para o meu amigo Victor é a nossamúsica. Sim, por que raio os amigos não hão-de poder ter músicas?

Vais amar. Chama-se "There's Me" e é de um musical menor do Andrew Lloyd Webber.

Teresa disse...

Anotado!!! Tinha acabado de mandar para o Eskisito, mas vou reencaminha já para ti. Não precisas de que te mande a letra, que é facílima.
Beijo!

o livreiro disse...

Esses é q são os verdadeiros amigos, não aqueles q... tu entendes o q quero dizer.
Bjs e as melhoras.
Um abraço ao esk.

Bellatrix disse...

porque é fantástico sentir que apesar da distância e do tempo há coisas que parece que não mudam.. também tenho uma amiga assim... quando falamos parece que nos vimos no dia anterior.. é tudo natural e simples... falamos com falávamos quando estavamos na escola... é bom ter amigos assim :)

Rita disse...

Eu tenho pena de não tem um amigo assim de tão longa data. Mas é boa essa sensação de, passe o tempo que passar, quando é preciso eles estão lá.
Jokas

Morsa disse...

Olá Maria! Por acaso sei bem do que falas, porque tenho amigos assim! Conheço todo o meu grupo de amigos há mais de 20 anos (toda uma vida), cruzámos juntos os mesmos bancos de escola, saímos juntos para o mesmo sítio, inclusivamente namorámos as mesmas moças. Mas nunca nos fartamos deles! Ainda ontem estive a jogar snooker com um deles. Daqueles de sempre. E para sempre!

É bom saber que há amigos assim não é?

Uma beijoca grande e um abraço ao eskisito

ana disse...

O teu post atingiu-me em cheio! Uma parte importante dos meus amigos etá assim, um pouco dispersa e passa muito tempo sem que falemos. Mas estão lá sempre, naquele cantinho especial do coração.
é curioso porque estou precisamente numa fase de rever muitos desses amigos - alguns pela net...
Alguém disse que os amigos são como as estelas: mesmo que não os vejas estão sempre lá!

E eu acho que é isso mesmo.
Olha, acabei de descobrir o meu meme...

Um beijo grande para ti (que não conheço bem mas já fazes parte dos meus dias) e outro para o eskisito (que muito me agrada ter reencontrado na aldeia global)

Para sempre, Maria disse...

Morsa:

Eh homem!Já não aparecias por cá há muito tempo!!!
Sim, é bom ter estes amigos, porque, à medida que a vida nos vai endurecendo, são eles quem guardam o registo da nossa verdadeira essência. Penso eu de que...
Boas melhoras ( é no que dá andares a apanar sol na moleirinha!)

beijo

Para sempre, Maria disse...

Bellatrix:

Ainda bem que tens porque assim percebes melhor a mensagem. Nos dias que correm as pessoas deixam-se ir sem criar laços...ainda bem que nascemos noutro tempo e a outro ritmo.

beijo

Para sempre, Maria disse...

Teresa:

Tens toda a razão. Porque não ter cancões para os amigos? Nós (eu e a L) frequentámos uma instituiçaõ dirigida por freiras, pelo que os finais de ano eram apoteóticos, com representações e nao sei quê. De certeza que se eu lhe disser "Não há direito" ela lembra-se do resto da canção.

Beijo

Para sempre, Maria disse...

Livreiro:

Nem mais meu caro!!!
Mas tu, a Ninica e o Benfiquista também se encaixam na estante dos "PARA SEMPRE".

Beijo( sofá novo hein?)

Para sempre, Maria disse...

Rita:

Mas de certeza que terás daqueles amigos que, HOJE e AGORA, podes telefonar para te levarem ao aeroporto...de certeza.

beijo

Para sempre, Maria disse...

ana:

Ainda bem que te fiz pensar em coisas boas...

Beijinho

Teresa disse...

Pequeno acrescento:
Fui eu que tive de dar ao Victor (unha com carne desde os 14 anos, na faculdade chamavam-nos "os siameses", um estava um, lá estava o outro) a notícia da morte do pai dele. No dia em que a minha Mãe foi operada a um cancro.
Gostaste da música?
Beijo.

Maria Cunha disse...

continuo "na minha", não existem melhores, maiores, mais que bons... amigos... existem aqueles que amamos de forma proporcional ao tempo que os conhecemos... apenas isso... conheço-o há mais tempo... amo-o há mais tempo...


essa música é fabulosa!

Anónimo disse...

Eu sou a "L"!!!e confesso que, minha querida e grande amiga, me senti nas nuvens com tal dedicação!é assim que me sinto cada vez que falo contigo,que por mais que o tempo passe por nós, construímos uma amizade de tal forma sólida e estruturada, livre de preconceitos, de pensar que um é melhor que o outro, de saber ouvir, de respeitar as opções que cada uma fez e faz, e de, apesar de sermos tão diferentes, há algo de muito superior que nos une..e este é um laço que sei que o tempo nunca apagará!e confiava plenamente em ti se tivesse que deixar um dia(quando os tiver!)os meus filhos contigo!és única amiga, única! e agora um momento lúdico! "Não é direito castigar, sem motivo e sem razão..."e o resto do teatro completo tenho em casa guardado num cantinho especial ao pé dos meus desenhos de estafetas com chapéus esquisitos!!lembras-te da gargalhada que nos acompanhou vários dias?!!ainda faço um scanner e tos envio!!!!beijos!

Para sempre, Maria disse...

L:

"Não há direito!Castigarem uma pessoa por uma coisa de nada!"...bem...aquilo é que foi!E tu e a outra croma no palco e eu a fazer ñão sei o quê!
Epá os teus desenhos! E os chapéus!Se enviares faço um post!

beijo