quarta-feira, 13 de junho de 2007

LER +

Os posts desde há já alguns dias que estão subordinados ao tema das leituras, pelo que, a par do Plano Nacional de Leitura, me lembrei de vos falar da experiência que tenho tido com as crianças e com a leitura.
É certo que, na escola em que trabalho, pululam uns seres hediondos disfarçados de Professoras de 1º Ciclo, mas, de entre essas más profissionais (que não são como o outro que dava aulas de coiso ao léu), encontram-se algumas que fazem jus ao epíteto de "facilitadoras de aprendizagem".

Nestas duas salas, pode encontrar-se uma biblioteca feita com mesas e estantes, repleta de livros que os meninos trazem de casa. O centro de recursos da escola foi inaugurado há meses, mas antes disso já os alunos do 1º ano estavam familiarizados com todo o processo de requisição. Sim, 1º ano! Eles podem ler de uma forma algo rudimentar, mas foram sensibilizados para o contacto físico com o próprio livro. Eles "lêem" a capa, as ilustrações, e tecem conceitos entre aquilo que adivinham e a leitura da professora.

É nestas duas salas que também se torna mais fácil ensinar. São meninos que compreendem a necessidade de ouvir o que lhes é dito. São mais calmos e controláveis e...torna-se habitual pôr em prática actividades que, noutras turmas, seria impensável...mesmo de 3º ou 4º.

Para terminar reproduzo uma situação de sala de aula, com o R. do 1º ano:

"-Ó R. vira-te para a frente! Não estás a tomar atenção ao que a C. está a mostrar.-digo eu

- Desculpa teacher... -diz ele encolhido

- Estás desculpado. Agora toma atenção.

Entretanto, estranhei o silêncio do lado dele, por nunca ficar sem resposta.Ao que ele me atinge com esta:

-Ó teacher, portei-me mal, posso ir para o castigo?

Eu com cara de parva a olhar para ele, disse-lhe que sim, que "podia" (devia?)

O R. levantou-se expedito e dirigiu-se para a biblioteca da sala...

A biblioteca é a única parte da sala com mesa e cadeira desocupada...pelo que o R. me enganou com uma destreza maquiavélica. Será que anda a ler "O Príncipe"?

É bom ver que a leitura está a deixar de ser um castigo para se tornar um prémio.


12 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Bem, que belo exemplo. Sabes, tenho um sobrinho, de 10 anos, que também sai um bocado da norma. Em vez de privilegiar a PS2 ou televisão, devora livros atrás de livros. Ainda há esperança... ;)

Teresa disse...

Quando eu era miúda, o pior castigo que podiam dar-me (e o mais eficaz) era a proibição de ler.
Se me deixassem, lia o dia inteiro.

Atenção ao correio na 6.ª feira.
Um beijo.

Maria Cunha disse...

de castigos percebo eu ;)
porque é que eu já gosto do R. sem sequer saber quem ele é? recordações...

obrigada... inspiraste-me para um novo post... por isso não me admiro nada que ganhes tantos prémios "thinking blogger"

beijinhos

e hoje um obrigada especial pelo teu comentário...

Anónimo disse...

Linda.
Se foi a ler o princepezinho,está desculpado!!!!!

vera disse...

o anónimo sou eu,bolas!!!!
mas porque raio de porra saí como anónima....
Ó tristeza!!!!!
Ó maldito fado!!!!!
Ninguém me quer...

Dina disse...

Eu consegui que a minha filha mais nova seguisse as minhas pisadas e também ela adora ler.
Quando elas eram miúdas comprava-lhe muitos livros, quando iam a festas de anos dos amigos...livros como prenda...tentei pelo menos colaborar com um pequeno incentivo e gosto de pensar que talvez um desses livros que elas ofereceram foi o primeiro de muitos para esse miúdo(a) hoje já adulto(a).

Para sempre, Maria disse...

Vera:

Quer sim senhora!
Finalmente que o blog da menina já aceita comments!Assim sim..
Já agora, podias asinar como blogger.
As coisas que tu aprendes comigo...
;)

Beijo

Para sempre, Maria disse...

Dina:

Eu comecei logo a ser bombardeada com a Anita e o Petsi!Com uns 10 anos já tinha uma biblioteca invejável, enfiada num daqueles nichos da parede.
Ainda hoje prefiro gastar dinheiro num livro ao invés de numa peça de roupa. Sou mesmo muito pouco gaja nestas coisas. Ao longo da vida fui conhecendo pessoas cujo cérebro deveria ser estudado pela ciência.Achavam que um bom dia era passado no Colombo...eu andava com os livros às voltas, a maluca era eu, claro!

beijo

Para sempre, Maria disse...

Teresa:

Lá por casa eu era a única leitora de livros. O meu pai lia as selecções, o meu irmão o Auto-Sport(!) e a minha mãe uma coisa esquisita e salazarista que se chamava "a não-se-quê na sala e na cozinha" que tinha receitas e conselhos domésticos. Ao que consta, o meu avô Zé leu o "D.Quixote "e "Os Miseráveis" e tudo do Círculo de Leitores...inclusive tudo o que fosse Eça. O meu avô era sapateiro.

beijo

Para sempre, Maria disse...

Maria:

Desculpa seres relegada para o final mas é que julgava que já te tinha respondido. OOOOPS!
Ainda bem que te animou o comment que te deixei...quanto aos prémios não sei se será por isso, mas significam muito para mim.

beijo

Para sempre, Maria disse...

Rafeiro:

É bom ver que não deixas de visitar aqui o estaminé mesmo depois de teres atingido o estrelato!A sério.
Afinal também acreditas que há esperança.

beijo

Bellatrix disse...

eh pah.. puto esperto esse! e passei o terceiro período do 4º ano de castigo (sim, inteirinho... e vamos n entrar em pormenores, boa?)... mas foi um castigo fantástico, li tanto mas tanto! lol
beijinhos