quinta-feira, 10 de maio de 2007

As saudades que eu já tinha...

Como já tive oportunidade de referir há uns posts atrás, sou uma espectadora atenta do sociedade civil, a não ser que o tema me seja totalmente distante. Ontem discutia-se a saída, cada vez mais tardia, dos jovens de casa dos pais. Os convidados eram 2 psicólogas ( os meus queridos amiguinhos) e a Ana Brito e Cunha. Basicamente chegou-se a uma conclusão que em nada me surpreende: o pessoal não sai de casa dos pais mais tarde por gosto, mas por contigências da vida. A Aninha é uma gaja muito à frente: ora a menina mora, não com a mãe, mas numa casa da mãe! E diz que prefere que assim seja porque gosta muito dela e tal...ora bardamerda não é? Ela não gosta mais da mãe dela do que eu da minha...a questão é que a menina não gosta nada de pagar as continhas ao fim do mês nem de fazer a transferência para o senhorio, além de que o supermercado não deve ser o local mais glamouroso onde se possa ir...sim, porque a desgraçada da mãe ainda lhe passa a roupa a ferro!Inveja do catano.

As psicólogas puseram-me os nervos em franja com as "questões afectivas". Custa-me imenso estar longe dos meus pais, mas não trocava a minha casa por nada.

Mas agora é que a porca torce o rabo! A Ana Brito e Cunha é uma betinha sem esperança a atirar para actriz modernaça, isso já a gente sabe, mas, então e se eu vos dissesse que o Sam the kid mora com a mãezinha?? Ah pois é!!!! Eu fiquei absolutamente estarrecida. A reportagem mostrou o quartinho do Eduardinho o menino, recheado de parafernália à la rapper e tal, com posters do próprio e tudo...mas em casa da mamã. Ah pois, que o gajo é para a frentex e tal, mas não dispensa o leitinho morninho antes de ir nanar.

Para um gajo que critica o pessoal que canta em Inglês...olha que morar com a mãe tem uma moral do caraças. Ó amigo, veste umas calças compridas, finge que és homem e sai de casa.



PS: Já agora, aqui ao lado está o meu protesto silencioso quanto às lides domésticas. É que eu não gosto nada da minha mãe e resolvi ir viver a 200km de distância. Pelo que sou eu que passo a minha roupa e é se quero!



3 comentários:

Formiguinha disse...

Eu também abomino as tarefas domésticas... não há coisa mais deprimente!!!
"Por sorte" deixei a casa da mãe aos 18 anos - se bem, mesmo enquanto lá estava, não tinha uma vidinha fácil - e faz-me confusão o pessoal adulto que vive em casa dos pais. Claro que é chato fazer limpezas, passar a ferro, fazer comer, ir às compras, gerir o frigorifico.... e tudo e tudo e tudo!!! Mas é muito bom poder chegar a casa à hora que me apetece, com quem me apetece, receber os amigos...
Realmente não se pode ter o melhor de dois mundos!

Morsa disse...

Eu ainda moro com os papás mas... Como se pode ver por posts recentes no meu cantinho, será por pouco tempo!

Nessa altura comento tá?

Beijinhos grandes

Dina disse...

Hoje em dia a maior parte dos jovens não tem estabilidade económica para poder sair debaixo das asas dos pais.
Eduquei as minhas filhas para serem independentes e ainda bem.
Elas têm já o seu próprio espaço e recorrem muitas vezes ao telefone, ainda hoje aconteceu, para me perguntarem: "Mãe como é que se faz isto ..."
Quanto a esse protesto, se fosses minha filha e vivesses mesmo ao meu lado também não te escapavas...detesto passar a ferro!!
As mães também têm direito a não gostar de fazer essas coisas...ah pois é!!