segunda-feira, 14 de maio de 2007

O Pai Natal está no Céu com o Frederico?

A última aula do dia foi qualquer coisa de surreal. Aliás, no decorrer da aula, eu só pensava: "Que belo post que isto vai dar..."
Então cá vai.
A bela da criançada hoje andava muito agitada porque um dos meninos do 1º ano se tinha cortado todo numa porta de vidro (duplo...) , pelo que resolvi ler-lhes uma história de um dos livros que tinham ido requisitar à Biblioteca Escolar. O livro que escolhi tinha o título: "Quando estou triste". Considerei-o adequado e lá comecei a ler.
A dada altura, e para que eles explorassem os motivos que lhes causam tristeza, o autor resolve enumerar os motivos pelos quais os meninos choram, que são: os amigos não gostarem de nós, os pais zangarem-se e...a morte de alguém querido. E foi aí que tudo começou.
Ora, logo a abrir as hostilidades ouve-se lá do fundo : "O meu avô Tonho morreu...snif, snif" e eu a ver a minha vida a andar para trás. Pelo que enceto uma conversa com a miúda de forma a saber quando é que o senhor tinha falecido e a relação deles ao que ela me responde lavada em lágrimas (e ranho e coiso e tal...) que não o tinha conhecido. Bom...ok...fui desviando a atenção para outra coisa e ela parou de chorar. Entretanto, como uns quantos tinham ficado com um ar de "mas que raio?" resolvi explicar-lhes que quendo morremos a nossa alma (que eu chamei outra coisa, e me enrolei toda) vai para outro sítio e ficamos todos juntos para sempre. E lá começa outra vez a outra piquena a choramingar:"Então e o meu avô Tonho está lá?"
Ao que eu respondo que sim e que a está sempre a ver...nisto sai-se um lá do fundo que diz: "É como o Pai Natal!!!" Pois...esta aqui foi da minha autoria...por altura do Natal e para os manter quietinhos disse-lhes que o Pai Natal tinha instalado câmaras na escola e que os via a toda a hora...grande bronca!
Bom, como se não bastasse, o Frederico não sei quê da Floribela bateu a bota e ao que consta aquilo era só fadas e não sei quê...mais uma dor de cabeça...é que eu tive o azar de perguntar: "mas qual Frederico?"...Eis senão quando, aparece-me a fã número 1 ao meu lado esquerdo a explicar-me o enredo todo do Conde que mandou o não sei quê para um orfanato e....bem, um desatino! Entretanto a outra continuava a chorar por causa do avô que nunca viu...para complicar, uma outra criatura dá em chorar também por causa dos bichos-da-seda que o demóniozinho da turma tinha esborrachado na semana passada...enfim...estou com a cabeça em água.
E para quê?
Para os gaiatos terem ficado a pensar que quando morrem vão ter com o Pai Natal que é voyeur e está no céu. Quer dizer, qual céu? Eu nem disse céu. Disse outra coisa qualquer!

8 comentários:

sandra disse...

Arranjas-te a bonita...ainda por cima não vês a floribela...tchiiiiiii....
A sorte é q amanhã eles já não se lembram de nada...(ou não).

Para sempre, Maria disse...

Lembram, lembram!
E eu digo que se começam com histórias a mais com os avós e não sei quê...eles vêem cá puxar os lençois à noite...buuuuu!
Eheheh

Benfiquista disse...

simentalismo ao rubro.
também me recordo da mesma situação à uns anos atrás.
As professoras têm o hábito de falar nessas coisas e depois não conseguimos aguentar a emoção das recordações dos nossos antepassados.
E de vez em quando outro puto qualquer saía com aquela do songoku tinha morrido em nameke, e começava a chorar por causa dele~, era comovente chorar pelo nosso grande songoku.

Dina disse...

Mas já não há miúdos como antigamente?

Cruxe disse...

Bem... pelo menos monótonas é que as aulas não são :)

Maria Cunha disse...

estava eu a pensar que o meu dia tinha corrido mal...

vou guardar um link deste post para ler sempre que o meu chefe entrar no meu gabinete com um sorriso nos lábios!!!

Para sempre, Maria disse...

Nop...Dina, os putos hoje nascem com uma alínea qualquer debaixo do braço, qual pão qual quê!(cheira-me que vai andar pessoal aos papéis com esta última frase)

Para sempre, Maria disse...

Homónima Cunha:

Agradeço o link...resta-nos encarar as adversidades com um sorriso na boca...ou com uma moca de Rio Maior...eheheheeh