quarta-feira, 23 de maio de 2007

Guilty pleasures

1- Ouvir a balada "Temporal de amor" da dupla Leandro e Leonardo ( é ver-me suster a lagriminha...)

2- Ter uma linguagem parva com o meu marido que só nós compreendemos (TINHO!)


3- Receber o DVD do filme da série Fame sem qualquer tipo de pejo pelo que possa acontecer à minha reputação de pessoa cool.


4- Ver a Eurovisão e gostar. (e escusam de vir para cá com " ah e tal e a Sabrina" porque já me enervei o suficiente a ver aquela aventesma a besourar no palco)


5- Comer o chantilly pela embalagem...(eu sei, é um nojo, mas sabe bem)


6- Buzinar às velhinhas. (se me estão a ver porque é que se metem à estrada for fuck's sake)


7- Rir-me quando o sr. apresentador fica "pendurado".


8- Ver telenovelas com criancinhas deficientes e ficar com a lagriminha ao canto do olho.


9- Se pudesse não largava o fato-de-treino...e não é por treinar muito.


10- Gosto de fazer perguntas difíceis ao meu marido do género: "Achas que estou gorda?" só para ver a resposta e ver como se desenrasca...se disser que não: "Mentiroso dum raio...tu não vês que eu pareço uma baleia? Tás a ouvir? Larga o computador! (nova briga)" . Se disser que sim: "Insensível da merda! Se calhar aquela estúpida com quem tu andaste era mais magra não?" and so on, and so forth.


11- Dizer mal dos psicólogos (se houver por aí algum não se sinta lesado...ehehehehe)


12- Ouvir as conversas dos putos sem eles se aperceberem.


13- Conversas parvas no messenger.


Fico pelo TREUZE.

11 comentários:

Rita disse...

Ouvir as conversas dos putos é a minha preferida, principalmente quando os putos são uma R com 4 anos e outra R com 1 e meio. É que a primeira fala: - maninha isto e maninha aquilo e a outra responde na língua dela com um ar muito sério de quem está mesmo a ter uma conversa séria. É um must. Quanto ao treuze não acho assim tão mau até acho piada termos uma palavrinha fetiche...eu não sei qual é a minha mas tenho uma concerteza. Passo a vida com o catrino, o caneco, o catano e às vezes o caraças. Por exemplo a minha mãe não consegue dizer Namíbia.
Jokas

Teresa disse...

Uma das muitas vantagens de viver sozinha é poder dar rédea solta aos meus guilty pleasures!
Beijo.

Maria Cunha disse...

mulher corajosa Maria, parabéns...

Eskisito disse...

Quanto à questão do gorda, eu sinceramente acho que tu estás...

Para sempre, Maria disse...

Rita:

Há dias estive a consultar uma aluna do 1º ano que está a atravessar uma fase complicada com o companheiro.
Um filme...

Um abraço

Para sempre, Maria disse...

Teresa:

Mas os meus pleasures até que são comedidos...não sei como serão os teus!Ó meu Lucas até é um guardião da moral e bons costumes cá de casa...portanto...guilty mas poucochinho!

Para sempre, Maria disse...

Maria:

Corajosa? Eu?Porquê?
Afinal de contas quem é que não canta o "Temporal de amor" hã?

"Quando você chegar,
tire essa roupa molhada,
quero ser a toalha,
e o seu cobertor"

Hã???

Para sempre, Maria disse...

Eskisito:

Ai sim???
Vais ver a agitação que a tua vidinha sexual vai ter...

NOT!

(não querem lá ver...)

Maria Cunha disse...

corajosa por assumires :) não é para todas!

Teresa disse...

Maria,
Pois também eu tenho esse problema...
Messalina é a encarnação da moral vitoriana em figura de gato (gata)...
Nunca posso alargar-me muito...

Beijo.

ana disse...

Olá maria! Também acho corajoso assumires assim os teus guilty pleasures tão frontalmente. Eu confesso que ainda luto contra o meu alter ego!
partilho do prazer de despejar latas de chantilly alambasadamente. e não acho nada nojento (...porque será?...) e também partilho de um dialecto raro e desregrado com o meu chuculhuco!
E acho até que estes prazeres tão pessoais é que nos fazem lembrar que somos animais, de tão humanos que são.

Beijinho. Gosto muito do blog e vou voltar sempre.