quarta-feira, 23 de maio de 2007

O número TREUZE!

Eu não me considero, de todo, uma exímia na arte de bem usar a Língua Portuguesa. Não tenho pretensões dessas.
Eu sei que a pronúncia alentejana não é de todo meiguinha para a correcção que a nossa língua merece.
Eu digo: lête, espeto com um ê em todas as palavras terminadas em "...er", do género, tu queres verê...
Eu sei que quando estou com os azeites falo de uma maneira que o pessoal à minha volta (os não-alentejanos) não percebe ponta de chavelho ...

Mas uma coisa é certa, faço um esforço enorme, no sentido de utilizar o dito Português-padrão em contexto de sala de aula. É o mínimo que se deve fazer, a bem da nossa língua.

Eu sei isso tudo.Mas, digo eu, dizer TREUZE sendo jornalista é um bocadiiiinho mau, não é?
Se há coisa que me tira do sério é a porra do TREUZE...brrrrr, mas qual TREUZE???

15 comentários:

Maria Cunha disse...

"treuze" é realmente muito mau... tenho pena por haver tão pouco cuidado com a forma como se fala nos nossos meios de comunicação social...

Teresa disse...

Se vamos para a televisão a conversa nunca mais acaba... "A marinha portuguesa interviu" - ouvido à Luísa Castel-Branco; "por isso é que a Oprah obteu o sucesso que obteu" - ouvido a uma menina com pretensões a bem no defunto 6Teen" da Sic Mulher; "As pessoas não param de ocorrer ao Marquês de Pombal" - ouvido a uma locutora entusiástica por altura de uma vitória de Portugal no Europeu. Etc., etc.

Também sou alentejana (de Évora, onde só vivi até aos dez meses), e sou uma alentejana completamente imprestável, incapaz de imitar o sotaque, o que muito me irrita.

Um beijo.

Peste disse...

lol deve ser um U imaginário...

ou alguma mensagem escondida que o comum mortal não é suposto apanhar

Eskisito disse...

Claro que eu digo isto...ou achavam que isto tudo vinha de onde...alego que é um defeito regional...treta de professores...

o livreiro disse...

onde "botas" o i do lete?
no cafei.
eh eh eh
bjs

Para sempre, Maria disse...

Maria:

"Eu tenho para mim" que "é assim", "tipo", "Tás a ver"...os moços da "tulvisão" não têm tempo para fazer um bom uso da Língua ...
Cromos...

Para sempre, Maria disse...

Teresa:

Eu cá sou tão alentejana que até aborrece...só degenero na questão do vagar...considero-me mais agitada que vagarosa. E também não posso com sopas de pão!
Quanto à repetição de erros, considero-a uma falta de respeito para com a nossa identidade.

Para sempre, Maria disse...

Teresa:

Lembrei-me de outra:"ir de encontro" em vez de "ir ao encontro".

Para sempre, Maria disse...

Livreiro:

O menino deve estar a esquecer-se da coça que o espera em terras de Além Tejo. O Ti Manel e a Ti Ana são uns castiços!

Um abraço para a Ninica

Dina disse...

Mas tu achas que os jornalistas são autênticas gramáticas falantes??? Olha que não...olha que não!!
(quanto a mim já usei melhor a nossa língua, reconheço!)

Teresa disse...

Há algumas que me põem doente:

O adjectivo solarengo, que toda a gente usa disparatdamente (como não tenho o teu endereço, mando para o teu marido, e ele reencaminha, se não te importares, cópia de troca de correspondência com uma pessoa muito conhecida).

Há dois anos (ou o que for) atrás. Quereriam as pessoas que fosse há dois anos para a frente. É há dois anos e pronto, é uma redundância ridícula.

Despoletar. Não existe. Pelo menos nesse sentido, o de desencadear. Espoletar é pôr espoleta a uma granada, e como tal despoletar seria retirá-la - tornando-a inofensiva.

Etc., etc.

Beijo.

Para sempre, Maria disse...

Dina:

Gramáticas falantes não...aliás, nós professores também não somos nada meigos e maltratamos a língua.Eu ando com um problema: corrijo tantos erros que às tantas não sei qual é a forma correcta... para veres que mentes criativas temos entre nós.

Um beijo( e vamos deixar a preguiça e escrever no blog...está a ouvir a menina?)

Para sempre, Maria disse...

Peste:

Eh mulher!Estava a começar a responder ao teu comment e já tu estás a escrever outro!MUITO BEM!!!!ASSIM É QUE É!

Mas sabes que esta coisa do TREUZE é típica aqui do Ribatejo...assim como outras...
O que realmente me irrita é ouvir piadolas sobre os alentejanos...haviam de ouvir estes a falar...já para não mencionar a pronúncia de Lisboa:COAILHO? AZULAIJO?

Beijo

mmmim disse...

mas também há quem diga TRELZE....
E eu tou aqui a dizer 13 baixinho pra ver como é que prenuncio e acho que digo TREZE... sei lá... Com isto tudo já tenho dúvidas ehehe

Para sempre, Maria disse...

mmmim:

Eh lá!TRELZE é, de facto, fantástico!

Venham para cá agora com conversas que o alentejano e coiso...pois...