sexta-feira, 4 de maio de 2007

Deus me dê o que eu não tenho:paciência

Notícias de hoje: uma menina inglesa de 4 anos desapareceu do quarto de hotel onde estava na companhia dos irmãos gémeos de dois. Os pais estavam no restaurante do resort algarvio onde estavam hospedados. Uma vez que se encontravam a alguns metros do quarto, a mãe, verificava de meia em meia hora se as crianças estavam bem. Na última vez que se dirigiu ao quarto verificou que a filha mais velha tinha desaparecido.
E digo eu, não terá sido um pouco displicente deixar 3 crianças sozinhas num quarto de hotel à noite para ir jantar fora com os amigos?É um bocadinho, não é?


No sociedade civil de hoje debate-se a questão da qualificação profissional das pessoas que abandonaram os estudos. Soa-me a uma valente treta. Custa-me um bocado que os meus pais se tenahm esfolado a trabalhar para me dar um curso superior e que eu continue a ter uma vida instável de ano para ano. E, pior ainda, quando não fiquei colocada enviei currículos para todo o lado e debati-me com a questão das habilitações "a mais"... ora se quem tem estudos não se safa vão agora dar décimos segundos à maluca com base em meia dúzia de testes, para quê?
De facto, quem tem o 12º ano safa-se melhor que um licenciado. Basta.me olhar para a minha turma do secundário. O que é certo, é que, se fosse hoje, não teria escolhido o mesmo curso. Tinha mandado a vocação ganhar a vida sozinha e tirava um curso daqueles que não são nada mas que dão para tudo. Enfim...



Hoje baptizei de "efeito peta-zeta" àquele sentimento de raiva e impotência que, muitas vezes, se apodera de nós quando percebemos que lidamos com pessoas muito reles. Isto é, queremos falar, mas sabemos que se o fizermos damos os trunfos (e importância a mais) ao inimigo. E roemo-nos por dentro.É o que eu digo, qualquer dia faço como o outro da Virginia...

Bom fim-de-semana

3 comentários:

Morsa disse...

Não concordo com a teoria de deixar os putos no quarto enquanto vão jantar fora!

Quando eu era miúdo, os meus pais às vezes iam sair e eu ficava sempre em casa! Os meus irmãos têm mais quatro e oito anos que eu e nunca ouve problema! Aliás, até era uma alegria! E portávamo-nos sempre bem e nunca abríamos a porta...

A questão é de segurança do resort não das culpas dos pais!

Quanto à parte que diz respeito ao teu trabalho... Tou um bocado contigo! Infelizmente!

Beijinhos grandes

Dina disse...

Concordo que há pais que facilitam muito. Eu nunca deixei as minhas filhas sózinhas em casa, tinha sempre receio que lhes acontecesse alguma coisa e pelos vistos ainda bem que assim era.
Maria estou exactamente como tu...e ainda por cima além de muitas vezes ter habilitações a mais agora estou já velha para trabalhar...já passei dos 40 devia era ir pró lar da 3ª idade segundo a maior parte dos empregadores.
Na minha área então...ou arranjo qualquer coisa a ganhar muito mal aqui na zona o que não é fácil ou fico em casa porque as grandes rádios já não me querem porque me consideram desactualizada. Entretanto oiço jornalistas, em determinadas rádios, que me deixam com os nervos à flor da pele.
Esse sentimento de raiva e impotência é algo com o qual tens que te habituar a conviver, porque vais sentir isso demasiadas vezes ao longo da vida.

Dina disse...

Vai ao Fotógrafos de Elvas ver uma foto linda...de António Serra.Um campo de papoilas que me deixou ainda com mais saudades!